Obviamente posso falar pouco.

Os segredos e labirintos — parte integrante da linguagem romanesca — têm várias funções: manter o leitor atento (pois deve estar consciente que a desatenção ou a leitura muito fugaz pode depois lhe custar atenção dobrada) e trazer a hesitação e o suspense como eixos importantes da narrativa.  

Não acho que seria benéfico adiantar os enigmas que busquei plantar na trama mas posso antecipar (isso já é muito e espero não ser repreendido) que eles se distribuem homogenamente pelo texto.

Por favor leitores: avisem se descobrirem.