Hoje, o inesperado!

Paulo Rosenbaum

13 setembro 2015 | 01:08

shana_Tova_5776_5ye_

Hoje é muito, a noite do mundo. Hoje é fundo, ao largo de tudo. Dia da escala primeva, pristina. Movimento, obra prima. Hoje se sabe, o valor é enganoso, a certeza, inútil, a decisão, instável. Hoje é o dia sem recuos. Não se enganem. Não é só o homem: são as forças, todas as capacidades, e todas as verdades. O que comove. Hoje, o divisor de águas, o inverso do ciclo, a sede que move. Hoje é a estação para mudanças. Troca de faixa. Inversão do estável. Reciclagem do estático. Reverso do mesmo. A fusão que nos escapa. O planisfério se dilata. A prata das bocas escapa. A vez do sutil. Do repleto. Dos códigos gerais. Dos sonhos orgânicos. Dos extratos românticos. Das mulheres em graça. Da infância sem pena. Da mutação, plena. Hoje, instante para brincar com os mundos. Saudar o recomeço. Saldar a nostalgia. Hoje, vigência do inesperado. Não é só mais um ano novo. Chegamos às vésperas, o triunfo do justo. Ao ímpeto da inércia. A resistência recobrou alento afora. A recompensa, aqui, agora. Nas alegrias sem fundamento à evasão do firmamento. É do horizonte que a notícia emerge. Com olhos nos céus. Ovos perfeitos e livro sem defeitos. Sob letras grafadas em tudo. Agora que as vozes venceram o silêncio dos mudos. A derrota da tirania exige persistência. Paciência, mesmo sem maná, shaná tová.

Tags: ano novo, blog Rosenbaum Estadão, derrota da tirania, dia de mudança, maná, shaná tová

http://brasil.estadao.com.br/blogs/conto-de-noticia/hoje-o-inesperado/

Paulo Rosenbaum